Estudos em Andamento

Doutor e paciente

Estudo PROMINENT

O objetivo do estudo é avaliar se o Pemafibrato promove uma redução no risco cardiovascular em pacientes com diabetes tipo 2 que já tiveram algum evento cardiovascular (infarto, AVC, ou realizaram angioplastia/revascularização) e tem triglicerídeos altos.

Aproximadamente 10 mil pacientes em 25 países são aleatoriamente designados para o grupo do pemafibrato ou placebo na razão de 1 para 1. Durante o seguimento, estimado em 5 anos, será avaliado o tempo médio para a primeira ocorrência de infarto, AVC ou revascularização em cada grupo.

O pemafibrato é uma molécula que atua na redução do nível de triglicerídeos – um dos tipos de gordura no sangue – e busca diminuir o risco cardiovascular que resta após o paciente estar com o tratamento do colesterol LDL otimizado.

Estudo CLEAR

Este estudo busca avaliar se o uso do Ácido Bempedoico reduz o risco de eventos cardiovasculares (infarto, AVC, revascularização coronariana) em pacientes com doença cardiovascular estabelecida que sejam intolerantes a estatinas.

Aproximadamente 12 mil pacientes em 30 países são designados aleatoriamente para o grupo do Ácido Bempedoico ou Placebo na razão de 1 para 1. Durante o seguimento, estimado em 45 meses, será avaliado o tempo médico para a primeira ocorrência de infarto, AVC ou revascularização em cada grupo.

A intolerância a estatinas é bastante comum e é uma das maiores barreiras para a aderência ao tratamento de pacientes que precisam diminuir os níveis de colesterol no sangue. Normalmente essa intolerância se manifesta como dores musculares principalmente nas pernas, mas também está relacionada a diarreia, dor de cabeça, tontura, entre outros.

O Ácido Bempedoico é uma molécula que, assim como as estatinas, diminui o nível de LDL colesterol no sangue, mas diferentemente das estatinas, ela usa uma enzima (ACSVL1) que está ausente no tecido muscular. Assim, espera-se que o ácido bempedoico cause menos efeitos colaterais.

Estudo SELECT


Este estudo avalia se o uso da semaglutida semanal diminui a incidência de eventos cardiovasculares (infarto, AVC, revascularização coronariana) em indivíduos com sobrepeso ou obesidade, sem diabetes e com histórico prévio de doença cardiovascular.

Aproximadamente 17 mil pacientes são randomizados entre o grupo da semaglutida e grupo placebo, na razão de 1 para 1. Durante o seguimento, estimado em 3 a 5 anos, será avaliado o tempo médio para a primeira ocorrência de infarto, AVC ou revascularização em cada grupo.

A semaglutida é uma molécula que atua como agonista do receptor de GLP1, com efeitos diversos em todo o metabolismo, desde a sensibilização à insulina no músculo e fígado até a diminuição do apetite no sistema nervoso central.

Estudos prévios demonstram que a semaglutida diminuiu a incidência de infarto, AVC, revascularização coronariana em pacientes portadores de diabetes tipo 2 com alto risco cardiovascular. O estudo atual investiga a hipótese de que essa molécula também tenha esse efeito mesmo em pacientes sem diabetes e com alto risco cardiovascular.

Estudo SOUL

Este estudo busca avaliar se o uso do Ácido Bempedoico reduz o risco de eventos cardiovasculares (infarto, AVC, revascularização coronariana) em pacientes com doença cardiovascular estabelecida que sejam intolerantes a estatinas.

Aproximadamente 12 mil pacientes em 30 países são designados aleatoriamente para o grupo do Ácido Bempedoico ou Placebo na razão de 1 para 1. Durante o seguimento, estimado em 45 meses, será avaliado o tempo médico para a primeira ocorrência de infarto, AVC ou revascularização em cada grupo.

A intolerância a estatinas é bastante comum e é uma das maiores barreiras para a aderência ao tratamento de pacientes que precisam diminuir os níveis de colesterol no sangue. Normalmente essa intolerância se manifesta como dores musculares principalmente nas pernas, mas também está relacionada a diarreia, dor de cabeça, tontura, entre outros.

O Ácido Bempedoico é uma molécula que, assim como as estatinas, diminui o nível de LDL colesterol no sangue, mas diferentemente das estatinas, ela usa uma enzima (ACSVL1) que está ausente no tecido muscular. Assim, espera-se que o ácido bempedoico cause menos efeitos colaterais.

Flash-glucose-monitor-on-arm.jpg

Estudo PERFIL GLICEMICO

 

Avaliação do Perfil Glicêmico através da monitorização continua da glicose em pacientes idosos com Diabetes do Tipo 2 em uso de insulina.

 

Pessoas com mais de 65 anos apresentam perda de massa muscular que influencia na ação da insulina, vamos avaliar a prevalência da diminuição da massa e função muscular relacionada ao processo de envelhecimento, que é denominada como sarcopenia na população idosa com DMT2.

 

Neste estudo será realizado a monitorização contínua da glicose com o aparelho FreeStyle Libre Flash que mede a glicose intersticial a cada 5-15 minutos, sem a necessidade de furar o dedo, fornecendo um perfil glicemico de 24 horas. Assim, poderemos avaliar melhor a necessidade de cada paciente.

Estudo SURPASS 6

O objetivo do estudo SURPASS 6 é avaliar a segurança e a eficácia do medicamento do estudo administrado uma vez por semana em comparação à insulina lispro administrada três vezes ao dia quando adicionada ao tratamento de base com insulina glargina, com ou sem metformina, em participantes com diabetes tipo 2.

Os indivíduos serão avaliados para determinar se eles têm as características necessárias para participar deste estudo. Cada paciente que se qualificar receberá o medicamento do estudo ou insulina lispro, bem como exames médicos relacionados ao estudo, exames laboratoriais relacionados ao estudo e medicações relacionadas ao estudo, tudo sem nenhum custo.

Também será disponibilizada a compensação de custos com deslocamento.